sábado, 5 de maio de 2012


Apaguem as luzes que eu preciso de encontrar uma luz que me faça ver os factos. Rápido. Não finjam que se preocupam, porque eu sempre venci por minha conta. Sem auxilio de ninguém. Despachem-se. Fecho os olhos e sigo o instinto. Examino tudo com o tacto e com a mente. Derrubava tudo e feria-me bastante, e, no entanto, aprendi a sobreviver. No escuro, na solidão, no obscuro. E sentia medo, muito mesmo. Aprendi a sobreviver, não a ser cautelosa. E, apesar de tudo, nunca fui devorada. Sou consumida. Oh, se sou. Todos os dias. Pelos pensamentos. Pelas lembranças. Pelo o outro lado da linha. Eu faço parte do lado misterioso, do enigmático. Não conheço nada para além do escuro. Nunca vi a luz, mas já sei que é fenomenal. É o que dizem os misericordiosos que por aqui passam.
Apaguem a luz, por favor. Eles vêm aí e vão começar a fazer perguntas. Eles não me deixam dar com vocês, dizem que são muito inconvenientes. Eles, os estranhos que vivem comigo no dia-a-dia. Não me conhecem, mas costumam avisar-me do quão perigosos vocês são. Vocês, os humanos. Eu não tenho medo, mas não posso simplesmente ignorar o que eles me dizem. Oh, já é tarde, perdi a noção do tempo. Gostei de narrar para vós. 

50 comentários:

  1. Gostei bastante! Vou seguir!
    Beijinhos*
    __________
    http://amanha-ha-mais.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Oh meu deus, tu imaginas o quão curiosa me deixaste com este texto rapariga? Fiquei com uma vontade imensa de saber quem são os que não deixam falar, quem são os perigosos... Perfeito, texto perfeito!

    ResponderEliminar
  3. está lindíssimo!
    obrigada pelo comentário querida, é bom saber disso (:

    ResponderEliminar
  4. no que depender de mim, não o farei, acredita!

    ResponderEliminar
  5. Claro que podes, ora essa! Fico à espera!*

    ResponderEliminar
  6. É bom e mau ao mesmo tempo... Não sei bem. Gostei bastante do texto :)

    ResponderEliminar
  7. espero que um dia todas as pessoas possam ser assim então, assim como tu :)

    ResponderEliminar
  8. eu sinto que neste momento o conheço melhor do que ele próprio, mas ele tem que decidir sozinho. eu não posso fazer nada.

    ResponderEliminar
  9. os teus textos deixam-me sempre com aquele gostinho de saber como vão acabar. simplesmente lindo, adoro.

    ResponderEliminar
  10. Querida! Eu é que te agradeço!
    Mas que lindo desabafo este teu! :'|
    Dá para dar voltas à cabeça, quem serão esses estranhos'? ^^

    ResponderEliminar
  11. eu vou lutar, juro.
    oh, está tão lindo.

    ResponderEliminar
  12. Isto está divino. Mesmo, mesmo. Adorei ler. Revi-me em muitos pedacinhos!

    ResponderEliminar
  13. adoro minha querida, como sempre!
    és fantástica e não me canso de o dizer :)

    ResponderEliminar
  14. Vou tentar querida, mas só daqui a uns tempos, ainda tenho de me preparar para a provável resposta que ele me vai dar...

    ResponderEliminar
  15. nao sobrevivas. bom é morrer pela vida e esperar que ela nos faça renascer de novo, porque dias negros haverá para sempre

    ResponderEliminar
  16. mais um post que adoro. os teus textos têm sempre aquele docinho que nos faz ler até ao fim cativando-me com a tua escrita! +.+

    ResponderEliminar
  17. sim, minha Aninha. porquê? :3
    verás a luz, está sempre tão perto de nós.

    ResponderEliminar
  18. Está maravilhoso, cativas-me sempre tanto com os teus textos.

    ResponderEliminar
  19. ele mentiu-me sobre uma coisa muito grave sobre a intimidade dele e da pessoa com quem ele me traiu :s

    ResponderEliminar
  20. Não tens de agradecer fofinha. :)

    ResponderEliminar
  21. para ti também princesa, um feliz dia da mãe *-*

    ResponderEliminar
  22. E por vezes é de luz apagada que eles se espalham... andam por ai, por aqui, não se vão.
    Um beijinho querida *

    ResponderEliminar
  23. e mais do que julgamos. resta-nos viver com o que temos.
    oh, muito obrigada, Aninha linda :))

    ResponderEliminar
  24. a forma com que expressas cada palavra é maravilhosa, gostei imenso doce, mesmo**

    ResponderEliminar
  25. vamos ficar bem princesa, as duas, estou aqui pequenina*

    ResponderEliminar
  26. Não tens de quê doce, que exagero!

    ResponderEliminar
  27. sim querida, aprendi a gostar de mim primeiro, já perdi o meu amor próprio uma vez, e prometi a mim mesma que não ia deixar mais a minha alma prender-se novamente a algo que não merecia a minha presença. e hoje sei como estar feliz (:
    obrigada pelas palavras doce**

    ResponderEliminar
  28. muito obrigada, meu anjo.
    oh, mais um texto ABSOLUTAMENTE fantástico! és linda <3

    ResponderEliminar
  29. Muito obrigada, luto sempre amor, por todos.

    adorei*

    ResponderEliminar
  30. não tens de quê.
    e sim, somos, as duas <3 gosto imenso de ti, não te esqueças.

    ResponderEliminar