terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sem Medos- XXII

-Oh mãe ..
-Querido isto também é para ti, - Aperta a mão do meu pai.- apesar de todas as discussões, vocês são as pessoas que eu mais amo à face da Terra. E quero que saibam que cada um de vocês tem um valor diferente do outro. Ainda me lembro, quando mudava as fraldas à Ana; quando ia ao cinema e o Pedro mandava sempre o pacote das pipocas ao ar e ainda me lembro do dia em que me casei com o vosso pai. Vocês são simplesmente a melhor família do Mundo. E não pensem que isto é uma despedida, porque não é. É apenas um breve 'até já'. E sempre que tiverem saudades minhas, olhem para o céu, e olhem para a estrela mais brilhante, aquele que será a primeira a pôr-se e a ultima a ir-se embora. Serei eu a olhar por vocês.-Fechou os olhos. Olho para o monitor e vejo uma linha recta, mas continuo na esperança de ver uma alteração nela. Mas, depois, sinto o seu coração a parar de baixo da palma da minha mão. Foi aí que me apercebi que a minha mãe, já não estava "cá". E nunca mais iria voltar.
-Mãe! Não, mãe, por favor!- Dou a mão ao meu irmão.
-Já não há volta a dar, querida .. 
Abracei-o com toda a força que tinha, apesar de, naquele momento, ser pouca aquela que ainda me restava.

                                                      (Continua ..)

16 comentários:

  1. estou a adorar +.+
    msm emocionante este capitulo..
    visita: http://castrodanniela.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. apesar de ter estado duas semanas ausente do blog não podia deixar de vir cá para continuar a seguir a história.
    está linda e eu continuo a adorar *-*

    ResponderEliminar
  3. Já estou novamente actualizada da história e estou a adora-la *-*

    ResponderEliminar
  4. Obrigada meu amor, mas acredita que não sou, não sou mesmo, começo a tornar-me pequena, fraca, e cobarde, começo só a conseguir ficar revoltada com os meus problemas e a querer fazer uma revolução de tudo, começo a querer mudar a minha vida de um momento para o outro, completamente do nada entendes? Começo a querer fazer tudo à minha maneira e a fartar-me de tudo e de todos, estou tão cansada que nem imaginas :/

    ResponderEliminar
  5. embora não esteja a seguir a história, o pouco que li está uma ternura - tens um jeito fenomenal para a escrita, minha querida margarida!

    ResponderEliminar
  6. Encontrei aqui algo de outro mundo, fico feliz por ter descoberto o teu tão conceituado blog. Adorei e estou super fã, vou seguir certamente

    ResponderEliminar