segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Sem Medos- XXI

-Vou apanhar um táxi e vou até ao hospital ver a mãe. Vais lá ter?
-Tu vens comigo, no meu carro, estás nervosa,  não te vai valer de nada ires sozinha. Assim, fazemos companhia um ao outro.
-Está bem, vamos lá.
(...)
-Filha.- O meu pai tenta abraçar-me, mas foi uma tentativa em vão.
-Não me toques!
-Ana, ouve-me, quem me dera que tudo isto não tivesse acontecido. Eu amo a tua mãe! Achas que é facil vê-la numa cama de hospital?
-Amas? Quem diria ..
-Por favor, Ana! É nestas alturas que se vêm quem são realmente os nossos amigos.- Põe as mãos sobre a cara.
-Pai, desculpa .. Só que me custa entender isto tudo. Primeiro decidem separar-se, depois discutem e agora.. agora a mãe está deitada numa cama de hospital.
-Olha, vem aí o médico.- Levanta-mo-nos num salto.
-Então, como é que ela está?
-O sua mulher está gravemente ferida, e acordou agora do coma.
-Podemos ir vê-la?
-Podem, mas não demorem muito. Ela precisa de descansar.
(...)
-Mãe! Como é que te sentes?
-Não muito bem, mas sentem-se aqui, ao pé de mim, um pouco.

                                              (Continua ..)

12 comentários:

  1. De nada minha querida, eu sirvo mesmo para isto quando quiseres falar já sabes, entendo muito a tua posição porque já passei por tudo isso :/ infelizmente...
    Obrigada e acredita que eu ando a tratar disso, mas as coisas não são fáceis, feitios complicados, personalidades muito diferentes, coisas que chocam muito e que eu ainda não sei lidar muito bem.

    ResponderEliminar
  2. adoro este blog, esta historia e espero que nao pares

    ResponderEliminar
  3. a história está a ser ainda melhor do que esperava, continua :)

    ResponderEliminar
  4. ainda bem que gostas-te do meu texto (: continuo a adorar a tua história *-*

    ResponderEliminar
  5. Estou a adorar esta história cada vez mais!!! :P

    ResponderEliminar
  6. Amoo a história, espero q continue por muito bby <3

    ResponderEliminar