quinta-feira, 13 de dezembro de 2012



O mundo sufoca-me com a força de um tempo perdido. Sufoca-me e baralha-me a mente. Não há humanidade. Não há amor. Apenas sobreviventes a narrar uma história que nada sabem e tudo temem. 
Vejo a minha figura reflectida. Desordenada e misturada na água pura. Rabisco versos de um futuro incerto. Prometo tudo ou nada. Garanto o incerto e o correcto. 
A vida não pára, por mais que queira. Não a faço sequer parar. Deixo-a percorrer o habitual caminho e familiarizo me à nova alma. 
O mundo sufoca-me com a força de um tempo perdido. Sufoca-me e baralha-me. Ding, dong, ding... Apalpo a cara. O que resta não é pele. É somente um cadáver perdido no meio da escuridão. 

19 comentários:

  1. adoro ler-te, não sei se já to disse, mas adoro. escreves tão bem.

    <3

    ResponderEliminar
  2. o que escreveste está lindo e, hoje, sinto-me imenso assim. muito obrigada pelo teu comentário, tornaste o meu dia mais feliz. eu também gosto imenso do teu, é dos blogs que mais costumo visitar.

    ResponderEliminar
  3. adoro a forma como escreves , continua :)

    http://tryinghard-to-forgetyou.blogspot.pt/ visita e dá a tua opinião :)

    ResponderEliminar
  4. muito muito obrigada Margarida :) adorei o texto. mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Muito obrigada, meu doce. Quero-te bem viva.

    ResponderEliminar
  6. escreves tão bem :') espero que isto seja apenas uma fase que passe bem depressa (:

    ResponderEliminar
  7. escreves muito bem, mesmo. espero brevemente ver mais sorrisos num dos teus textos*

    ResponderEliminar
  8. lindo texto e blog :) escreves mesmo bem!

    ResponderEliminar
  9. Há imenso tempo, sem dúvida alguma!
    Mas o teu país das maravilhas continua autêntico, saboroso :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  10. escreves cada vez melhor, acredita, meu amor.

    ResponderEliminar
  11. Muito lindo o que escreveu, tomara que essa fase passe logo

    Bjs
    http://maviealeatoire.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar