terça-feira, 12 de junho de 2012

Tenho medo do amor. Fobia, até. Tenho medo das borboletas na barriga e dos calores repentinos. Tenho medo que me roube todas as flores que presenciam o jardim da felicidade. Tenho medo dos versos proferidos e das canções cantaroladas em conjunto. Tenho medo de não demonstrar e de não receber. Mas não acredito no amor. Não acredito, mesmo. Ele vem e vai, muitas vezes, sem voltar. Parte corações e nem deixa o manual de instruções entre mãos daqueles que o merecem. É, o amor é ruim. Doentio e hipócrita. Destrói quem sente e enriquece quem fere. É por isso que o amor e o ódio tantas vezes estão ligados. O ódio, muitas vezes, até que é melhor que o amor. Não esconde, não omite. Não encobre, não mata.
Sabem? Tenho medo do amor, mas não o conheço. Não o vejo entre os dedos, mas sei que ele corre sempre na direcção oposta da minha alma. Somos imortais os dois. É, eu sou a liberdade. E ele, ele é o amor. Individuo doentio que tantas vezes afunda e abisma os outros. 

39 comentários:

  1. Fantástico!
    Ai, como eu gosto de ti, minha linda <3

    ResponderEliminar
  2. Acredita querida quando o ferimento do amor passa aprendes muito com isso e sem reparares tornas-te 3x mais forte!
    Bem, trata-se de saber se entrei ou não na escola/curso em que quero entrar, quero a força toda entrar em desporto naquela escola. é um sonho para mim, hoje a tarde vou saber se entro ou não! Deseja-me sorte :x

    ResponderEliminar
  3. Ando por aqui. Com as pernas. (é, não te consigo dar uma resposta melhor, meu anjo).

    ResponderEliminar
  4. Um bloqueio na artéria da perna direita. Estou aqui há mais de uma semana, já estou a dar em louca!

    ResponderEliminar
  5. As minhas e as tuas deste texto. Oh, já me identifiquei tanto com isto querida!

    ResponderEliminar
  6. Sim, ainda por cima, só no sábado é que me deixaram sequer sair do quarto ou andar. Mas pronto, podia sempre ser pior, não é?

    ResponderEliminar
  7. Maleitas físicas não me assustam, sabes? Pior é como está a minha alma, há demasiados dias.

    ResponderEliminar
  8. Eu nunca te obrigaria querida. segue apenas se gostares :o nao por obrigacao

    ResponderEliminar
  9. não muda, ele sempre foi assim. não muda mesmo..

    ResponderEliminar
  10. Obrigada mas eu não consigo ser forte 24h sob 24h :s

    ResponderEliminar
  11. oh, muito obrigada princesa
    e é bom saber isso :)

    ResponderEliminar
  12. Como eu te entendo. O amor, apesar de ter o seu lado bom, tem um outro lado que destrói uma pessoa.

    ResponderEliminar
  13. Que lindo* Escreves mesmo bem (:

    http://amantejaponesa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. o ódio não é melhor que o amor. o amor não mata por existir, mata quando não existe. o ódio mata quando existe, é cruel e bem mais doentio

    ResponderEliminar
  15. Vou tentar não preocupar :)
    Texto fantástico. Mas olha, doce, acredita nele.. Há momentos que nos bate à porta e temos de o deixar entrar.

    ResponderEliminar
  16. oh doce, não tenhas medo de algo como o amor. ele é contraditório, mas não deixa de ser belo. acredita nele. mas está lindo o texto :')

    ResponderEliminar
  17. Podes ter medo dele. Mas não deixes de acreditar. Se deixares de acreditar, esse medo vai consumir-te e depois não há volta a dar. E eu tenho a certeza absoluta de que ainda vai aparecer alguma alma capaz de te arrebatar e de te tirar todos esses receios.

    ResponderEliminar
  18. Esse medo é natural. Mas não em excesso.

    ResponderEliminar
  19. oh obrigada doce. eu compreendo esse teu receio, mas acredita que é pior se deixares de acreditar nele. podes acabar por ter demasiado medo e quando ele finalmente aparecer, tu podes não o aceitar. olha princesa, acredita nele, pode parecer que ele só magoa mas não, quando menos esperares, ele aparece, não desistas.

    ResponderEliminar
  20. Então ele vai acabar por se dissipar :)

    ResponderEliminar
  21. Bem, acho que é uma mistura de nostalgia, saudade e ódio. Ah, e amor.

    ResponderEliminar
  22. Por vezes, o ódio também mata. Mas não devíamos ter medo de amar só por causa das consequências. Amar é bom, amar sabe bem, o amor é lindo na sua grandeza de defeitos e qualidade :)

    ResponderEliminar
  23. Lindíssimo. Costumo pensar para mim própria que morri para o amor. Às vezes quero acordar e tentar de novo mas depois prefiro não desafiar a minha sorte. Estou certa de que isto não é o mais correcto a fazer mas hoje dou-me por feliz por não dar sequer oportunidade às pessoas de me magoarem. Já não acredito no amor e sempre que o pressinto, fujo dele.

    ResponderEliminar
  24. escreves cada vez melhor princesa, mas não tenhas medo do amor *-*
    um dia, o amor verdadeiro vai aparecer na tua vida e ainda vais ser muito feliz *.*

    ResponderEliminar
  25. eu respeito a tua opinião, só espero que um dia tenhas mudado de opinião :)

    ResponderEliminar