quinta-feira, 10 de maio de 2012


Rapariga tensa, nervosa, inquieta. Delicada, apaixonada pelo mundo, desiludida com a vida. Harmoniosa, melancólica, prestigiosa. Solitária, melhor amiga da solidão.
É um novo mundo, uma nova realidade. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, costuma-se dizer. Que realidade tão obscura. Até mete medo, creio eu. 
Ela segue o mundo, não tem receio de perder tudo. «A vida já é uma perda total», narra ela no seu caderno de capa dura. Pessimista. Duvida de tudo e receia todos. Afirma que nada nem ninguém a irá iludir novamente. Determinada. «Perdi-me uma vez, mas, no entanto, encontrei uma bússola. Agora anda sempre comigo. Não me vou perder». 
Escolhe a ironia para dizer certas coisas que ninguém tem capacidade e coragem para expor. Honesta.
Oh, desculpem. Que erro gravíssimo que acabei de cometer. Não apresentei a rapariga. Prazer - estendo a mão.- esta sou eu.

16 comentários:

  1. tens um enorme jeito para escrever!

    ResponderEliminar
  2. oh quem me dera meu doce, quem me dera.

    ResponderEliminar
  3. Que descrição profunda de ti mesma, não é fácil quando se fala na primeira pessoa, quando assumimos fragilidades, erros nossos. Gostei mesmo muito do post. Um Beijo :)*

    ResponderEliminar
  4. este post está mesmo lindo amor, a tua descrição (:

    ResponderEliminar
  5. também quero um solzinho por aqui.

    ResponderEliminar
  6. acho que te compreendo /: queres falar?

    ResponderEliminar
  7. tens mais qualidades do que imaginas, amor.

    ResponderEliminar