domingo, 25 de março de 2012

Corações, este não é mais um dos textos que estou habituada a escrever, mas sim, um texto para um desafio da Marcela (aqui). Espero que gostem.

Era mais um dia de inverno. Aceitara o frio como um obstáculo e o vento como uma paixão. Recordava-me dos dias ternos passados em família e das gargalhadas dadas à mesa, nos grandes jantares de Natal. A família toda reunida, onde a felicidade era o prato principal do jantar. Lembrava-me de quando ficava uma tarde inteira em frente à janela apenas para ouvir as pequenas gotas de chuva que teimavam em bater no parapeito da janela. Tudo isso agora passara. Ficara apenas na mente dos outros como mais um ano passado. E na minha fora diferente. Fora nesse ano que ocorreu a mudança no meu corpo. Mudei de companhias, não tendo tido uma escolha. Mudei de hábitos, porque, poucas raparigas, tinham esta oportunidade de sobrevivência. Não podia ficar até mais tarde para conviver com os meus colegas, porque, de noite, os meus pais iam caçar connosco; não podia ter namorados, como a maioria das raparigas da minha idade. E o que mais me custava era não poder contar a ninguém o que ocorrera comigo e o que eu realmente era. Metia muitos em perigo, sabendo do que realmente se passava naquela altura. Era a minha opção de vida, e para salvar uns, prejudicava outros. E nestas alturas, ou escolhes a família ou a opção da eternidade é relativamente nula.
Foi nesse ano também que o conheci. Via-o todos os dias, porque a distância entre nós era quase nenhuma. Vivia a dois quarteirões da minha casa, e, visto que conseguia por o conhecimento de saber ser discreta em causa, conseguia mira-lo o tempo que quisesse sem ter o problema de ser apanhada. Porem, o desejo era maior que tudo. Até mesmo do perigo que poderia causar. Foi sempre com ele que sonhava todas as noites, e foi sempre por uma mensagem dele que eu esperava ao fim do dia. Ele era apenas tudo aquilo que eu nunca fui: livre, feliz, concreto.
Passado algum tempo, ele conheceu-me. Estava ferida, porque muito se passou na noite anterior. E ele, apenas se apressou para me fazer um curativo. Não perguntou nada, porque percebeu que estava abalada, e aquele silêncio era a maior melodia que me podia ter sido dada. Tão calado, mas tanto me dava.
Acabara por lhe contar tudo. O que era e o que se passara na minha vida. E ele tornara-se o meu melhor amigo. O meu porto seguro e o meu maior amor. Gostava dele mais do que gostava da minha vida, e abdicava de tudo por ele. Não tinha noção do perigo que lhe estava a proporcionar. Estava a ser egoísta ao ponto de achar que tudo iria correr bem. A diferença de idades iria ser vista com o passar dos anos. E eu, sendo uma vampira, não envelheço. Não poderia mudar o destino dele, devido ao tremendo amor que sentia por ele. Seria mais fácil para ele desistir sem ter-me por perto e então, decidi partir. Andei por lados desconhecidos mais de 4 meses e o sentimento apenas permaneceu. Não se transformou. Liguei-lhe ainda umas duas ou três vezes, mas sem nunca proferir palavras, pois apenas precisava de ouvir a sua respiração do outro lado da linha. Até se tornar na última. As notícias correm depressa e rapidamente ouvi o rumor do acidente. Desde então, as coisas mudaram. É o meu sangue que bombeia neste momento o seu coração. Foi o meu sangue que o trouxe de novo para este mundo e o fez ver que existe uma eternidade para ser vivida juntamente comigo. Afinal, existe maneira de negar uma vida a alguém que amas? 

83 comentários:

  1. mesmo fofinha
    mil beijinhos e mil lágrimas salgadas.

    ResponderEliminar
  2. falar é o melhor para nos entendermos. mas neste caso não esta a dar em nada, parece que só piora

    ResponderEliminar
  3. Adorei linda.
    Obrigada por participares.

    ResponderEliminar
  4. FINALMENTE CONSIGO COMENTAR O TEU BLOG.
    *foguetes* *foguetes*
    Desculpa não ter retribuido todos os teus comentários fofinha, e obrigada por teres continuado a marcar presença mesmo sem a minha retribuição. <3

    ResponderEliminar
  5. Estou a escrever uma historia, gostava muito de ter a opniao dos leitores. Espero que gostes :)
    Beijinho grande**
    (sigo-te *.* )

    ResponderEliminar
  6. Que docinho deste teu texto. Melhores amigos, sempre daremos a vida por um, não é verdade?

    ResponderEliminar
  7. e se ele achar que eu me estou a tornar chata?

    ResponderEliminar
  8. mas o mais idiota disto tudo é que eu sabia que ele tinha valor, mas não lho dava :c
    muito obrigada*

    ResponderEliminar
  9. muito obrigada querida, por sp leres os meus textos.

    ResponderEliminar
  10. parece que sim :C
    muito obrigada! <3

    ResponderEliminar
  11. oh, que simpatia. muito obrigada :D
    ia votar na sondagem , mas não dá já. mas está muito giro assim o aspecto, simples e bonito :)

    ResponderEliminar
  12. Já não sei o que isso é há muito tempo, infelizmente -.-
    Obrigada :) Gostei muito do que escreveste. Vou seguir também!

    ResponderEliminar
  13. obrigada princesa, de coração. sei que entendes<3

    ResponderEliminar
  14. :O Está tão bonita a história :)

    ResponderEliminar
  15. obrigada, muito obrigada. gostei imenso deste pedacinho: "Afinal, existe maneira de negar uma vida a alguém que amas?" belíssimo.

    ResponderEliminar
  16. obrigada querida. gostei bastante do que escreveste

    ResponderEliminar
  17. Não lhe mostrei que sou forte, simplesmente, fiz-lhe o mesmo que ele me fez a mim...
    Amei o texto *-*

    ResponderEliminar
  18. oh, muito obrigada :)
    adorei e sigo de volta, claro.

    ResponderEliminar
  19. Não tens nada que agradecer :) Oh princesa, mil obrigadas, senti-me muito bem pelas palavras que disseste ♥

    ResponderEliminar
  20. Obrigada amor , a amizade dela era importante para mim mas enfim.

    ResponderEliminar
  21. oh tu és mais querida/ amorosa sei lá, tudo !
    desculpa a demora a responder-te querida :s

    ResponderEliminar
  22. Espero que sim minha querida, espero mesmo. Não aguento as crises de melancolia que às vezes me dão, juro que não aguento.
    Gostei muito do texto, a sério :)

    ResponderEliminar
  23. Gosto muito do teu blog princesa*
    Sigo :)

    ResponderEliminar
  24. oh amor, tento estar da melhor maneira que posso. e tu ?
    essa imagem é dos the vampire diaries, é o Damon ?

    ResponderEliminar
  25. A mim também, é insuportável. Estás bem, agora?

    ResponderEliminar
  26. acredita, todos pensam que nos conhecem.. és tão fofa, linda!

    ResponderEliminar
  27. a história que escreves tocou-me de tal forma que estou a pensar escrever uma, à minha maneira :) não sei se a vou publicar, primeiro vou escreve-la à mão, depois, se correr bem logo se vê.
    obrigada pelos elogios, não imaginas a força que me deram. há pouco tempo estive mesmo para cancelar o blog, mas não o fiz, obrigada :)

    ResponderEliminar
  28. está fantástico. devias mesmo escrever uma história e dar-lhe continuidade pq tens jeito (;
    pois, é fácil viver na ilusão mas faz muito mal ...

    ResponderEliminar
  29. aposto que ñ sou a única com esta opinião (: e tens de saber as verdades :b

    ResponderEliminar
  30. não tens de quê <3
    também já te sigo.

    ResponderEliminar
  31. Oh, então porquê?
    Já enviei o convite.

    ResponderEliminar
  32. Olá Ana :)
    Mal entrei no teu cantinho, vi que tinha um brilho especial! :)
    ''É o meu sangue que bombeia neste momento o seu coração. Foi o meu sangue que o trouxe de novo para este mundo e o fez ver que existe uma eternidade para ser vivida juntamente comigo. '' De certa forma, esta frase ficou-me aqui gravada <3
    Sigo-te , continua com o teu bom trabalho!
    Beijinhos da Wanna

    ResponderEliminar
  33. oh, muito obrigada :3
    mas n sou a unica, tmb escreves MUITO bem (:

    ResponderEliminar
  34. não o farei por agora :) e obrigada mesmo pelos elogios!

    ResponderEliminar
  35. É mesmo assim, estamos bem e depois vemos alguma coisa que nos lembra de tudo...

    ResponderEliminar
  36. Eu tento pensar assim querida, mas custa-me tanto ver as pessoas que eu queria comigo a afastarem-se por causa dos meus defeitos, eu não aguento isso... E obrigada por estares comigo, eu agradeço-vos a todos do fundo do coração, têm sido um grande apoio!

    ResponderEliminar
  37. É imenso, eu que o diga. É mesmo horrível...

    ResponderEliminar
  38. Sim, isso é verdade. Mas eu própria tenho a noção de que os meus defeitos até a mim fazem mal.

    ResponderEliminar