quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Sem Medos- XXV

Esperei dias e dias sem saber do Jonny. A morte da minha mãe tinha me deixado devastada. Sem forças para correr atrás de quem eu mais amava e de quem eu mais precisava. Sentia saudades dele, mas eu não conseguia sair de casa, naquele estado. Parecia que os olhos borrados de tanto chorar, se tinham tornado no meu estado actual. Nunca tinha perdido ninguém que me era querido. Os meus avós tinham falecido antes de eu nascer, o que não me fez sofrer tanto. Agora, devia de estar a pagar a duplicado. Perder uma mãe é como perder metade do vosso corpo e a totalidade da vossa felicidade.
(...)
-Filha, posso?
-Claro, pai, entra..- Limpei as lágrimas.
-Tens aqui alguém que te quer ver.
-É o Jonny?
Acenou com a cabeça.
-Posso dar-te um conselho?
-Estás à vontade.- Tentei sorrir.
-Vai ver-te ao espelho. Agora.
-Mas..
-Ele espera.- Sorriu.- Vá lá, segue o conselho do teu Pai.
 Pus me de frente para o espelho e logo de seguida deixei-me cair na cama.
-Apesar de estares borrada e suja, de estares magoada e triste, de costas voltadas para a vida, lembra-te que ela não para. Ela continua, o relógio não pára nem perde as "pilhas". Tens de ser forte e grande o suficiente para perceberes que a tua mãe também não está bem se vir, do céu, a filha neste aspecto. Nenhuma mãe fica feliz por ver a filha desiludida, sem vontade de viver. Ela foi embora, sim, mas já pensas-te se ela estivesse aqui neste momento? Ela não estaria bem. E isto vai custar-me dizer-te mas, mais vale ela ter partido logo, do que estar a sofrer mais ao passar dos dias.
Tentei sorrir mais uma vez, mas foi em vão. Em vez disso, libertei mais uma lágrima.
-Agora, mete-me um sorriso nessa cara linda, e encara a vida como ela é. Ninguém disse que a realidade era fácil de ser vivida, não é? Só disseram que valia a pena vive-la.
Dito isto, fui vestir uma roupa nova, fui lavar a cara e desci as escadas. Estava na altura de encarar a realidade.

                                              (Continua ..)

29 comentários:

  1. amo , amo , amo.
    esta história deixa tanta vontade de continuar a ler *-*

    ResponderEliminar
  2. ainda bem que gostas , e ainda bem que são um incentivo. eu digo o que penso , e gosto muito deste blog, e do que escreves , por muito que não comente, eu visito sempre este blog :)

    ResponderEliminar
  3. Não tens que agradecer, já eu , agradeço muito querida :)

    ResponderEliminar
  4. é bom ouvir essas primeiras opiniões :) , muito bom mesmo*

    ResponderEliminar
  5. não tens de agradecer a sério, gostei bastante*

    ResponderEliminar
  6. espero bem que sim querida :)
    e é o meu avô, não a minha avó, mas obrigada na mesma :)

    ResponderEliminar
  7. não tem problema, obrigada querida :)

    ResponderEliminar
  8. comecei hoje a ler a tua história.
    estou a gostar muito, dá voltade de ler sempre mais e mais (:

    estou a seguir-te.

    ResponderEliminar