sábado, 10 de setembro de 2011

Sem Medos- XXIX

Quando o pai e o meu irmão adormeceram, decide ir dar uma volta. Não tinha sono. E não tinha tensões de ficar fechada no quarto a ver televisão ou a "navegar" pelo facebook. Entretanto, decidi levar a carta do Jonny. 
Fui dar uma volta ao pé do rio. Só se viam casais a namorarem e a darem passeios de mãos dadas, como eu e o Jonny costumávamos fazer. Senti-me sozinha. E então, lembrei-me das palavras dele, quando me deu a carta: " Quando te sentires sozinha, lê-a. Vais ver que te vais sentir melhor."
«Meu doce amor,
Desde que surgiste na minha vida que se tornou dificil imaginar uma vida sem ti ao meu lado. Sabes, tenho a sensação que procurei por ti todos estes anos. 
 Tu completas-me de uma forma tão profunda, que é impossível explicar através de meras palavras. Sem ti falta-me o chão, falta-me a segurança que me transmites através de um simples sorriso, falta-me sempre a certeza de estar a fazer o mais correcto ou o melhor. Sem ti também me falta o céu e os sonhos. 
 Estes tempos, não tem sido fáceis para ti. Aliás, a vida vai ser sempre assim. Dificil e injusta. Perdemos alguns dos que mais amamos, mas ficam outros. Mas, nunca ninguém preenche o lugar de alguém que já partiu. 
Amar e ser amado por ti é a melhor sensação deste mundo e do outro. Contigo sinto-me feliz e poderoso. Tenho sempre saudades tuas , mas é uma saudade "boa" de sentir. Uma saudade doce, terna e tranquila, porque sei que também sentes saudades minhas. Assim que os meus olhos encontrem o brilho do teu olhar, o sorriso da tua boca, a alegria volta imediatamente. É dificil de explicar, mas é fácil de compreender. Chamam-lhe de amor. E eu, tenho a certeza, que é disso que se trata.
 Estarei sempre aqui para ti, de braços abertos para te abraçar quando te sentires perdida, triste ou confusa. Nunca vais estar sozinha. 
Um beijinho enorme e um amo-te sincero, 
Jonny. »

(Continua ..)

12 comentários: