quinta-feira, 14 de julho de 2011

Sem medos- IX

Passamos a noite toda a falarmos da nossa vida, da nossa infância, das brincadeiras parvas, dos nossos gostos, mas já se fazia tarde. Tinha sido um dia longo, precisava mesmo de dormir para pôr as ideias em ordem:
-Amor, não leves a mal, mas estou a começar a sentir-me cansada.
-Claro que não levo a mal, baby. Anda, vou te deitar.- sorriu.
-Obrigada, amor.
-Pelo quê?
-Por tudo. Tens sido mais que um namorado, e sabes uma coisa? Começo a achar que és mesmo o Homem da minha vida.
-Ainda tinhas duvidas, era?
-Não sejas, tonto.
-Vem cá.- beijou-me a testa.
Fomos até o meu novo quarto:
-Obrigada mais uma vez, amor.
-Não tens de quê, fofinha.
Deitou-me e adormeci no colo dele. Ainda consegui sentir as mãos dele a pentearem-me os cabelos compridos e morenos. Ele era mesmo o príncipe encantado que habitava nos livros dos contos encantados e sentia-me tão bem e tão completa ao lado dele. Ele era meu e eu, era inteiramente dele. Para sempre.
 Acordei a meio da noite e senti-me meia triste, por não o ter a meu lado. Não consegui adormecer logo de seguida, por tanto, decidi levantar-me e ir até à cozinha:
-Querida, estás acordada a esta hora?
-Ai, desculpe, acordei-a?
-Não, querida, acabei agora de resolver uns assuntos relacionados com o trabalho, nada de especial .. Mas então e tu?
-Não consegui adormecer, e então, vim aqui ver se um copo de água me fazia algum efeito.- sorri.
-Fazes muito bem, querida. Anda, Vem comigo.
-Onde?
-Já vais ver, querida, não tenhas medo.- sorriu.

(Continua ..)

29 comentários:

  1. Agora fiquei , muito mais ansiosa !
    continua... eu adoro esta história :)

    ResponderEliminar
  2. adoro mesmo e quem me dera ter um namorado assim.. contínua fofinha!

    ResponderEliminar
  3. de nada linda, estou a gostar muito da história (:

    ResponderEliminar
  4. Obrigada querida!
    Tenho acompanhado a tua história e devo-te dizer que estou viciada nela. Parabéns e continua a escrever!

    ResponderEliminar
  5. vou parar de a escrever :o vou-me focar na outra, estou a gostar mais de escrever esta do que a da iris.

    ResponderEliminar