segunda-feira, 2 de julho de 2012

Tenho os nós dos dedos carregados com um vermelho vivo intenso. Estou pálida, um pouco perdida no meio de inúmeros pensamentos. Vêm-me à cabeça palavras auto-destruidoras e memórias de um passado sem fim. Arrepio-me e tenho os cabelos pregados à testa. «Tenho medo.», sussurro. Ninguém me ouve. Ninguém me quer ouvir. Entretanto, entro no meu próprio mundo. Um compartimento sem janelas, que não dispõe qualquer tipo de vista para o mar ou para a terra. Não há vida. É a diferença existente entre o universo real e o meu mundo à parte. Em parte, pareço-me com um terço das crianças autistas existentes no universo. Tal como elas, preciso de  um espaço que me faça abstrair dos problemas criados e das pessoas existentes que provocam dor à minha alma. 
Sinto um rio de sangue escorrer-me pela sobrolho e calculo ter-me esforçado demasiado. Até o meu mundo mais secreto desabou. 

14 comentários:

  1. vais ver q um dia abres os olhos e todos esses sentimentos desaparecem (:

    ResponderEliminar
  2. Que texto intenso! Desejo que tudo passe :)

    Vou seguir, gostei tanto :) E gostares do meu, segue-me.
    http://ratatouilledemocoes.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. meu anjo, o teu mundo secreto, esse que significa tanto para ti, nunca vai desabar ! ele é teu e vai ser sempre teu e estar aí para cada momento que precisares * confia querida !
    e não te esqueças que eu estou aqui, para TUDO (:

    ResponderEliminar
  4. Mas haverá algum post teu que não vá gostar?! :P
    Dji nada ^^

    ResponderEliminar
  5. Fazes muito bem. :)
    Vais ver que tudo vai passar fofinha.

    ResponderEliminar
  6. é simplesmente um texto magnifico e lindo. Força *

    Kiss!

    ResponderEliminar