quinta-feira, 21 de junho de 2012

Estou a ir não sei para onde. Caminho sem parar, sem observar o que quer que seja. Está escuro e frio.  Não chamei ninguém para vir comigo. Sei de cor qual seria a resposta se ao menos tentasse perguntar. As pessoas viam-me partir. Sabiam a causa. Sabiam o motivo. Não tentaram parar ou proibir. Não me fizeram frente. Não tenho amizades fortes. Talvez, por isso, não possua conselhos sábios. 
Caminho sem saber por onde vou. Vejo árvores altas, o  que me dá a ideia de estar a caminhar uma floresta densa e perigosa, e oiço uivos de um animal feroz. Feroz, como quem diz. É um lobo, veio a meu encontro. Não me faz mal, sinto-o protector. Arranjo madeira e faço lume. Já é tarde para percorrer. 

16 comentários:

  1. Desde que regresses forte. Nunca estás sozinha.

    ResponderEliminar
  2. de nada e o obrigado também pelo elogio ^^

    [ desculpa só responder agora mas só hoje voltei ao blogue, estive em exames ^^ ]

    ResponderEliminar
  3. o mesmo te digo. não te deixes perder por aí, agarra sempre a tua alma.
    és uma pessoa muito bonita, Aninha!

    ResponderEliminar
  4. E isso basta-me, querida.
    E olha, se precisares de alguma coisa, eu estou aqui, não duvides disso por um segundo que seja! Adoro-te, mesmo <3

    ResponderEliminar
  5. gosto sempre muito minha querida :)

    ResponderEliminar
  6. nem imaginas o quanto eu adoro esses comentários enormes cheios de força! obrigada e, oh, eu vou ser forte. tenho de o esquecer, não será assim tão difícil (sim, Inês, pensa assim). és uma princesa.

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigada. E sabes perfeitamente que não tens nada a agradecer, meu amor <3

    ResponderEliminar
  8. Está muito bom, mesmo, podias fazer desse texto, uma história com vários posts.!

    ResponderEliminar