terça-feira, 15 de março de 2011



"Os amores mais bonitos são definitivamente os impossíveis. Aqueles que sabemos que um dia vai ser  uma lembrança e nada mais... Aqueles que jamais terão condições de sair do campo dos sonhos. São eles, os amores impossíveis que sabemos lá no fundo que nada se apagará, que dele o tempo não será remédio...O amor que entendemos que tudo o que fizemos foi em vão, mas faríamos tudo de novo por conta de um mísero sorriso... O amor que nos torna melhores... Que nos faz esquecer o nosso maldito egoísmo e pensar no outro como uma parte de nós. Amor que sabemos que não será para sempre, que durará o suficiente para dele só restar uma saudade de sangrar.
O amor mais doce de nossas vidas é aquele que nos traz paz em meio ao fim... É aquele que nos permite viver e acreditar num mundo feito de pessoas cheias de mentira, cheias de si...Amor que se respira, que se faz presente na guerra, na festa... Amor puro que nos desperta o mais profundo desejo carnal e ainda assim coberto de doçura... O amor que nos condena a nos conformar em ser mortais, em carregar esse fardo e ainda assim jurar amor, jurar protecção...
O amor impossível...O amor das lágrimas entre os lençóis...O amor da dor da despedida, da alegria do encontro...O amor do nunca mais, do para sempre... O amor que não nos deixa prender no passado mesmo quando temos a certeza que esse passado foi e será o mais belo de toda uma vida...
Esse é o amor mais lindo... O amor inexplicavelmente impossível, e por isso inevitavelmente inesquecível."